São dois pesos que a pré-vestibulanda Alaine Sampaio, 18 anos, passou a carregar sobre os ombros depois que começou a sonhar em ocupar uma cadeira no ensino superior. O primeiro é a pressão de vencer a concorrência e ter o nome na lista dos selecionados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2018). O segundo veio com a rotina de quase nove horas de dedicação aos estudos.

A maratona de leituras e exercícios rendeu à jovem dores na região dos ombros e na lombar que se acentuam à noite, justamente no horário em que ela deveria estar se recuperando para mais um dia de aprendizado. “É como se tivesse algo muito pesado sobre mim, um cansaço muito grande”, reclama.

A queixa da jovem é comum entre outros estudantes que permanecem sentados por horas na mesma posição e, às vezes, de maneira errada. Para ajudar na preparação, o CORREIO trouxe dicas de postura, alimentação e exercícios físicos que podem aliviar a rotina desgastante dos estudos.

Se a desculpa é por falta de tempo, não se preocupe, porque os alongamentos, por exemplo, podem ser feitos em cinco minutos, entre a leitura de um livro e outro. O que não pode é deixar a saúde de lado, já que é preciso estar preparado para enfrentar as 180 questões da prova.

O cansaço e o desgaste mental são comuns nessa reta final – o Enem será realizado em novembro. Nada melhor do que colocar um tênis e sair para dar uma volta. O cérebro precisa de um descanso, e o corpo necessita estar em plena atividade na inscrições enem 2018.

Se preferir, nem precisa sair de casa, tampouco ficar horas na academia. Para o educador físico Renato Figueiredo, o que importa não é a quantidade de horas que se gasta praticando algum exercício, mas sim a intensidade dele.

“É comum sentir um certo incômodo e, na busca de uma posição mais confortável, a pessoa acaba flexionando a cervical para ficar mais próximo do livro ou do computador, enrolando os ombros. Por conta da flexão da cervical para frente, o pescoço, ombros, região dorsal e lombar acabam ficando tencionados”, explica ela.

E nem é preciso levantar da cadeira para começar a movimentar o corpo. Basta apenas, a cada 20 minutos, ou quando o corpo começar a sentir o peso do cansaço, realizar movimentos circulares com as mãos, pés e o pescoço. Mexer esses membros, além de relaxar os músculos, melhora o fluxo sanguíneo. “Isso também ativa a liberação de oxigênio, dando uma sensação de alívio. Outra dica é, a cada 50 minutos, dar uma volta pela casa, ir até cozinha ou varanda”, ensina Taynan.

E nem pense em estudar na cama ou deitado. Se for utilizar o computador, é preciso manter os olhos na mesma altura da tela, sem esquecer de permanecer com os antebraços apoiados na mesa e os pés fixados no chão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *